Header_link_left
Ratings Internacionais de Crédito de Longo Prazo

Os Ratings Internacionais de Crédito de Longo Prazo podem também ser denominados como Ratings de Longo Prazo. Quando atribuído para a maioria dos emissores, ele é usado como medida de probabilidade de inadimplência e é formalmente descrito como IDR (Issuer Default Rating – Rating de Probabilidade de Inadimplência do Emissor). A mais relevante exceção se encontra dentro de finanças públicas, onde os IDRs não serão atribuídos pois a atenção do mercado sempre foi de focar o pagamento no prazo esperado e não faz distinção analítica entre emissores e suas emissões. Quando aplicado a emissões ou a títulos, o Rating Internacional de Longo Prazo poderá ser superior ou inferior ao IDR do emissor, a fim de refletir as diferenças relativas às perspectivas de recuperação.

A escala de rating a seguir é aplicável tanto para ratings em Moeda Estrangeira como para ratings em Moeda Local.

Grau de Investimento

AAA

Melhor qualidade de crédito. O rating "AAA" reflete a menor expectativa de risco de crédito. É atribuído apenas em casos de capacidade excepcionalmente elevada de pagamento dos compromissos financeiros. Muito dificilmente essa capacidade será adversamente afetada por eventos previsíveis.

AA

Qualidade de crédito muito alta. O rating "AA" denota uma expectativa muito baixa de risco de crédito. Indica uma capacidade muito elevada de pagamento de compromissos financeiros. Essa capacidade não é significativamente vulnerável a eventos previsíveis.

A

Qualidade de crédito alta. O rating "A" denota uma baixa expectativa de risco de crédito. A capacidade de pagamento de compromissos financeiros é considerada elevada. Essa capacidade, todavia, pode ser mais vulnerável a alterações nas circunstâncias ou nas condições econômicas, do que no caso de categorias de ratings melhores.

BBB

Boa qualidade de crédito. O rating "BBB" indica que, no momento, existe uma baixa expectativa de risco de crédito. A capacidade de pagamento de compromissos financeiros é considerada adequada. Todavia, mudanças adversas nas circunstâncias e nas condições econômicas têm mais possibilidade de limitar essa capacidade. Este é a categoria mais baixa dos ratings grau de investimento.

Grau Especulativo

BB

Especulativo. O rating "BB" indica que há possibilidade do risco de crédito aumentar, particularmente como resultado de mudanças adversas na economia, ao longo do tempo. Entretanto, alternativas financeiras ou de negócios podem estar disponíveis, possibilitando que os compromissos financeiros sejam honrados. Os títulos que possuem esse rating não pertencem à categoria de grau investimento.

B

Altamente especulativo
· Para emissores e obrigações adimplentes, o rating "B" indica que um significativo risco de crédito está presente, porém, uma pequena margem de segurança ainda existe. Os compromissos financeiros correntes estão sendo honrados. Entretanto, a capacidade de continuar efetuando o pagamento dependerá de um ambiente de negócios e econômico sustentado e favorável.
· Para obrigações individuais, pode indicar compromissos financeiros problemáticos ou inadimplentes, com potencial de recuperação extremamente alto. Essas obrigações possuiriam Rating de Recuperação de “RR1” (muito alto).

CCC

· Para emissores e obrigações adimplentes, a inadimplência é uma possibilidade real. A capacidade de cumprir com os compromissos financeiros só existe mediante condições de negócios e econômicas favoráveis e sustentadas.
· Para obrigações individuais, pode indicar compromissos financeiros problemáticos ou inadimplentes, com potencial de recuperação de médio a alto. Diferenças na qualidade de crédito podem ser distinguidas pelo sinal de mais/menos. Estas obrigações normalmente possuiriam Rating de Recuperação de ‘RR2’ (alta), ‘RR3’ (boa) ou ‘RR4’ (média).

CC

· Para emissores e obrigações adimplentes, algum tipo de inadimplência é provável.
· Para obrigações individuais, pode indicar compromissos financeiros problemáticos ou inadimplentes, com Rating de Recuperação de ‘RR4’ (média) ou ‘RR5’ (abaixo da média).

C

· Para emissores e obrigações adimplentes, a inadimplência é iminente.
· Para obrigações individuais, pode indicar compromissos financeiros problemáticos ou inadimplentes com potencial de recuperação que vai de abaixo da média para pobre. Estas obrigações possuiriam Rating de Recuperação de ‘RR6’ (baixa).

RD

Indica uma entidade que deixou de efetuar os pagamentos devidos (dentro do período de carência aplicável) de algumas mas não todas as suas obrigações financeiras relevantes, mas continua a honrar outros tipos de obrigações.

D

Indica um emissor ou país que deixou de cumprir com todas as suas obrigações financeiras. A inadimplência geralmente é definida por:

– omissão de um emissor em efetuar o pagamento pontual do principal e/ou juros de acordo com os termos contratuais da obrigação financeira;

– falência legal, administrativa, intervenção, liquidação ou término ou descontinuação dos negócios do emissor; ou

– compulsória ou outra coercitiva troca de uma obrigação, em que credores recebem ofertas de papéis com condições econômicas ou estruturais inferiores comparadas com a obrigação existente.

Ratings de inadimplência não são atribuídos de forma prospectiva. Dentro deste contexto, o não pagamento de um instrumento que contém uma carência para pagamento ou mecanismo de diferimento não será considerado como inadimplente até a expiração do diferimento ou da carência.  

Emissores serão avaliados com ‘D’ em caso de inadimplência. Inadimplências ou compromissos financeiros problemáticos tipicamente são avaliados com categorias de rating ‘C’ a ‘B’, dependendo de sua expectativa de recuperação e outras características relevantes. Adicionalmente, em transações de finanças estruturadas em que a análise indica que um instrumento está irrevogavelmente prejudicado, de maneira que não é esperado o pagamento total dos juros ou principal de acordo com a totalidade dos termos da documentação durante todo o período da transação, mas onde nenhuma inadimplência de acordo com os termos da documentação é iminente, a obrigação pode ser avaliada nas categorias do ‘B’ ou ‘CCC/C’.    

A inadimplência é determinada de acordo com os termos descritos na documentação das obrigações. A Fitch atribuirá ratings de inadimplência quando ela identificar com certa razoabilidade que o pagamento de um compromisso relevante não foi efetuado de acordo com as exigências da documentação, ou quando a agência acreditar que a classificação, em consistência com as definições de inadimplência publicadas pela Fitch, seja o rating mais apropriado a ser atribuído.

Notas para Ratings Internacionais de Longo e Curto Prazo:

Os modificadores "+" ou "-" podem ser adicionados a um rating para denotar sua posição relativa nas categorias principais de rating. No caso de ratings de Longo Prazo 'AAA' e categorias abaixo de 'CCC', tais sufixos não são adicionados. O modificador “+” pode ser adicionado ao rating de Curto Prazo ‘F1’. (Os modificadores +/- são usados apenas para emissões dentro da categoria ‘CCC’, enquanto emissores somente são avaliados com o rating ‘CCC’ sem o uso destes modificadores.)

Observação: ratings são colocados sob Observação para notificar os investidores que há razoável probabilidade de uma mudança da classificação e a provável direção de tal mudança. Esta pode ser ‘Positiva’, indicando uma potencial elevação; ‘Negativa’, para um potencial rebaixamento; ou é ‘Indefinida’, se os ratings puderem ser elevados, rebaixados ou mantidos. A Observação é tipicamente resolvida num período relativamente curto.

Perspectiva: uma Perspectiva de rating indica em qual direção um rating é provável de ser alterado num prazo entre um e dois anos. Perspectivas podem ser positivas, estáveis ou negativas. Uma Perspectiva de rating Positiva ou Negativa não implica que uma mudança da classificação seja inevitável. Similarmente, ratings cujas perspectivas são estáveis podem ser elevados ou rebaixados antes da mesma mudar para Positiva ou Negativa se as circunstâncias assegurem tal ação. Ocasionalmente, a Fitch Ratings pode não conseguir identificar a tendência fundamental. Nestes casos, a Perspectiva de rating pode ser descrita como Indefinida.

Programas de ratings (como os atribuídos a programas de emissão) se aplicam apenas a emissões-padrão dentro do programa em questão. Não deve ser assumido que estes ratings aplicam-se a todas as emissões dentro do programa. Em particular, no caso de emissões não padrão, das que estão ligadas ao perfil de crédito de terceiros ou ao desempenho de um índice, os ratings destas emissões podem descolar do que foi aplicado ao programa de rating.

Obrigações ou títulos que contêm uma ‘put’ de curto prazo ou demanda com característica similar terão rating duplo, como AAA/F1+. O primeiro reflete a habilidade para cumprir o pagamento de longo prazo do principal e juros, enquanto o segundo rating reflete a habilidade em exercer a opção em sua totalidade e no prazo estabelecido.

Somente Juros: os ratings para esta classe são atribuídos para os cupons de juros. Estes ratings contemplam a possibilidade de que um investidor possa não recuperar parte ou a totalidade de seu investimento devido a pagamentos voluntários ou involuntários de principal.

Somente Principal: ratings de somente principal contemplam a probabilidade de que um investidor receberá seu investimento inicial do principal antes ou na data de vencimento.

Taxa de Retorno: ratings também podem ser atribuídos para medir a probabilidade de um investidor receber uma predeterminada taxa interna de retorno sem referência ao tempo exato de qualquer fluxo de caixa.

Encerrada: denota que uma emissão foi totalmente paga, resgatada, refinanciada ou venceu.

NA indica que a Fitch não avalia o emissor em questão.

Retirado: um rating é retirado quando a Fitch considerar inadequada a quantidade ou a qualidade da informação disponível; quando uma obrigação vencer, for resgatada ou refinanciada; ou outra razão que Fitch considere suficiente.